Pular para o conteúdo principal

Postagens

As dores do Mundo

Dor.
Por ela você chora,esperneia e pede pela mãe.
Tem dor pior que bater o dedo menor do pé em algum móvel ?

Tem sim!

Minhas dores começaram aos poucos ,mas sempre foi em dias mais frios que o negócio pegou.

Não temos empatia na dor,na realidade na maioria das vezes o que você consegue de concreto é um amiguinho que sempre diz,mas eu também sinto dor.


Queria poder chutar as pessoas na cara nesse exato momento,quando isso evoluí para eu também sinto dores o tempo todo,só não fico reclamando.
Eu imagino a pessoa derretendo na minha frente.

Sei que não existe verdade na dor.

E que a falsa ideia de não compartilhar o que se sente só te torna ,mais um besta .

Não existe fortaleza no silêncio .

Só que existem doenças crónicas.

Ter fibromialgia é sentir dor de formas variadas,parece que tem um cientista sadico que usa drogas pesadas dentro do seu hipotalamo ,agora caimbras ,repuxar esse ciático danada,virou um cantor de até desculpe me.

Você tem fadiga,intolerancias alimentares variadas,sín…
Postagens recentes

A Fibromialgia me fudeu.

Nós humanos sempre estamos arranjando meios de sermos mais.
Algumas pessoas querem ser melhores,outras querem ter coisas melhores,que as outras.
Todos nós como um grupo, estamos tentando suprir,algo que não temos e achamos que deveríamos ter.
Só que a pessoa que vos escreve fica feliz em sair da cama ultimamente.

A fibromialgia me roubou de mim.

Parei de escrever,por não conseguir ficar sentada por mais de 2 minutos,procurei diversas vezes mas ninguem ainda criou algum APP que transforme fala em texto.

Eu nesse momento estou escrevendo no meu celular e meus braços parecem que vão cair.


Hoje está fazendo 12°graus.

Meu corpo está gritando,sinto como se eu fosse do tamanho de uma casa,uma casa dolorida,a coisa principal sobre o diagnóstico da fibromialgia é que existem pontos gatilhos pelo corpo são áreas que sempre estão doendo,se acaso alguém apertar e não for seu médico ,sentirá uma vontade tremenda de arrastar o mesmo pelo asfalto.

E por algum motivo que desconheço quando caí as temp…

As palavras de Ana

Eu sei que peço,

e sempre rezo que me veja,

essa pele ,
que me atraí,

Ali...



Essa vivencia toda guardada,

em potes metálicos,

Ao acaso,

alguém te experimenta?

Naquela hora que sua mente está vazia.


Aquele seu retrato na parede,
perdeu a cor

ele que te retrata tão vulgarmente,

Meus olhos veem detalhes que os seus não conseguem.

Enquanto observo tudo diluir,

perante a mim,


Penso nas vezes que tentei te medir,

Sua estatura, nunca consegui competir,

a altura dos olhos sempre tem alguma beleza,

bonito é saber que cada um enxerga um tom de vermelho,

em uma rosa vermelha



Reagi ao seus traços,
tristonhos e elegantes.

Tão orgânico é você.

que admiro sem ao menos tocar.

Não tem ligação bastante, que me impeça de delirar acordada,
criando mundos distantes dentro da minha cabeça grande.

Dou risada da sua mente fechada.

as vezes eu não sou eu,
e não existe dilema nessa história,
eu me parto e  vivo coisas,
de memoria.





Hanna

Porque tão serena?

Porque não chama ?

Tem fogo nesse sorriso!
Vejo que está queimando enquanto perco os sentidos. deixo todo meu juizo.

Esse desdobrar de eventos.


Sei que perde a sanidade em momentos.




E que seus pensamentos voam ,
Dão piruetas ,acrobatícas.
E retornam ao seu seio.

De tão, menina cuidadora.
De tão perdida.
Instrutora.


Veste fantasia de santa,
E me enlouquece,
Porque não vejo sanidade,
Nesse meio sorriso que me apresenta.

E fico procurando e não achando.

O que me complete.

So chamo seu nome .

E sei que você ,sempre me esquece.

Mutante

Quem é você ?
Quem pensa o que é?
Você pensa?
Ou segue a maré.


E agora como fica José?
Em dias normais ,
Não se consegue ,
Mais nem ficar em pé.

Você quem é?
Que poder acha que têm ?
Pra ser tão mané.

E não nos importamos tão assim!
Pra saber quem sabe o fim.
Quem entende os meios afinal?


E essas letras difusas,
Na sua mente ,
Comprada e confusa,
É só mais um versão ,
Do meio
De um inteiro,
De um dia quente de Fevereiro.


Mas você sabe quem é?
Sem dinheiro,
Sem amor,
Sem afeto dado de graça,
Sem seus parças.......

Sua perversidade aparece,
Quando inaltece os defeitos alheios,
Fazendo prosa e contando,
Os desfechos medonhos,
Dos desprovidos de coerência .

Afinal quem sou eu?
Perante os misterios do mundo,
Da delicadeza das pétalas de flores,
E da tristeza que a morte de quem se gosta provoca.


Eu não sei respostas,
Nem ao trabalho de perguntar me dou,
Construo muros em volta,
Porque cheio de tédio estou.

O Sorriso da gula.

Fiquei décadas presa na ideia que eu era gulosa.


Na realidade sempre tive um vazio estranho que preenchia com comida,a sociedade como um todo nunca me aceitou bem,eu nunca me senti bem em grupo,a sensação ainda é a mesma,pessoas aos montes são abelhas que me picam.

Escola,festas e familiares outras pessoas da minha idade.

Sempre me senti uma peça de quebra cabeça redonda.

Eu me incomodo muito quando me analisam, apesar de fazer isso o tempo todo, não consigo explicar,ao mesmo tempo tenho emoções conflituosas,as vezes assisto o mundo pegar fogo passivamente.

Todas essas inadequações alimentares,da onde saí isso?o que preciso aprender aqui.

Passei a ultima década fazendo as pazes com a comida ,agora pareço estar tentando fazer as pazes comigo mesma.

A verdade é que muitos me veem e poucos me enxergam.
todos bastante preocupados consigo.

Só me acham pra falarem o que não sabem.
Nem eu sou boa pra saber o que sinto,porque tenho uma missão de preencher meu vazio.


Filme

Sempre cansados,
Esse mesmo filme ,
Já conhecemos o fim.

Na vida,
Os casais lutam tanto,
Por um final de conto,
Mas só ,
Sobra pilhas de roupas sujas,
Mais pilhas de contas,
Problemas, com soluções complicados.


A verdade bate....
Quer entrar....
Mas você se nega.....
A pensar.......

E vamos usando da intuição ,
Tentando esperar um novo dia,
Que tenha sol pra secar,
Dinheiro pra liquidar.
E amor pra saldar.

Convincente

Já tentei varias vezes entender,
Mas a posição que me deixa,
É desconfortável ,
É tão difícil quando a verdade fica pairando sobre os olhos ,
Que secaram depois de tanto molhar.

Nossas almas não tem encaixe,
Mas sou massa mole,
Mudo conforme,
Mas algo na massa tem endurecido ,
Algo que buscava,
Apareceu ,depois de muito tempo perdido.

Não consigo esperar .

Nem que seja algum surpresa,
Ruim ou boa,
Mesmo esses seus risos atoa,

Mas sinto que estou indo embora.

Me perdoa......

Decida

O que é confortável pra você acreditar ,
Em qual bolha ,
Você consegue morar,
Lá eu posso ficar?
Você anda em passos ensinados, Agora podem até sÃo  passos manipulados , Acredita no que lê , Porque lhe convém , Seus privilégios vão além.
É tudo tão rosinha nesse conto, Que quando escurece nem se vê o céu, Eu sei que te prometeram um pote de mel, No fim da caminhada, Mas o fim nunca chega nessa estrada.

Meio raso porém fundo.....

Quando chove demais,
Do fundo solta sujeira,
Ser zoada demais,
Te transforma
Mesmo que não queira.

Mas aos trancos e barrancos,
Vamos indo todos,
Estamos vivos,
Ainda…….

Do meio vejo o fundo
E ele não tem luz,
Eu sei que você me vê,
Mas sei que não entende
Meus porquês.

Falo uma lingua parecida
Com a que você entoa.
Mas sons fazem contrastes,
E distorcem muito atoa….

Em português explicativo nunca fui boa.

Pare.

Tem um sino aqui,
Que toca ,faz barulho ,
sem que a gente peça.

Essas marcas ,que não se apagam,
Essas culpas que carregamos que não são nossas.

Quando vai começar a dar certo de verdade.….

Aonde estou indo com tanta idade?

Eu quero sentir.

Mas chorei,sentei na beirada do meio fio,
Fiquei vendo sangue escorrer.

Meu peito,
Petrificado em mau estado,
Não derreterá.

Tem travas ligadas,
Na potência máxima.

Exemplos,figurinhas repetidas,
Que se repete em valores,
Eu conheço essa cena!
Contudo não posso ajudar,
nem me importar.

Não quero procurar problema,
Sua miopia tem causa.

Mas tem o querer ,
De que todos fugimos.


Causando dores,
Me obedeça,
Porem me esqueça.

Tem trabalho demais na forma correta.
A porta está aberta.

Dificilmente,,,,,

Porque errei,

Por não acreditar que me impugnava,

Assim tão facilmente,

que o erro era meu,

que no fundo me amava.



Hoje cedo,

bateu um vento gelado,

nesse calor enervante,

Você troca de ferradura,

Constantemente,

A pancada sangra facilmente,

Mesmo assim percorre indiferente,

Mostrando os dentes.





Apatia é que sinto frequentemente,

As vezes parece que vou sair,

Porém sorrisos me assustam,

Desencadeiam nervoso aparente,

e simplesmente deixo de sentir ,

Novamente.



E a roda da doideira continua novamente,
Vem dançar ,
na cantiga,

antiga,

Vem antes que a preguiça apática me leve.


Se descobrir ,
Sobrevivente........

Infelizmente ,
Também mostro os dentes,
Boto ferraduras duras,
Mas na realidade brinco de não entender,
que sua ausência me faz sofrer,
Lêre,lêre.....ê



Criando ironia ....

Nascemos.

Cortam nossa ligação direta….

Nos alimentam,

Nos vestem,

Nos cuidam,

E começamos a crescer.


E começa a poda.

Do florescer.

Porque criança boa é a quietinha,



Esperam que não se alimente,

Mais do leite,

E vão se esgueirando os nãos,

Não pode chorar,

Não pode birrar,

Não pode reclamar!

Cala boca moleque!


Vai crescendo,

Crescendo ,

Enrijecendo,

Precisa enfiar os porquês no bolso,

Mesmo que não tenha nenhum,

Porque é porque sim,


Sempre foi assim ,

Bota logo um fim.


Adulto frustrado,

Beberrão irritado,

A criança interior chapada.


Como sempre,

Ninguem tem paciência ,

Mas, todo mundo bota culpa no mais próximo.


Culpa da direita ,

Da esquerda,

Do partido vermelho,

É do comunismo!

Do neoliberalismo

Do sexo anal corrente,

De gente no poder fudendo o rabo da gente.


 Todo dia é dia de argumentos sem fim.

Mostram penis a crianças,

Enquanto quem amamenta faz a dança de esconder as tetas,

Tudo tem que ser explicado mesmo que alguem chore o fato.


Fica perdido procurando ninho de passarinho,

Corações ao chão

Andava eu,

com meu pequeno coração,

as vezes no bolso,

as vezes na mão,

um dia escorreguei,

e ele caiu no chão.



Encontrei você,

ah esse vazio,

esse vazio no seu sorriso?

Como poderei eu desconfiar,

sua alma parece limpa,

mas seu coração eu vi,

havia  partes pétrificadas ali.




Mesmo assim fingi não ver,

porque dentro eu queria querer.

E lá estava você esperando meu ser.




Eu olhando meu coração pulsando no chão,

vendo que sangue podia escorrer no vão,

mesmo com medo eu fui,

 indo de acordo com o vento,

deixando fluir pensamentos,

e ficando cego com a poeira.


Mas um dia titubeou,

eu vi, minha alma congelou,

Você pisou no meu coração,

fiquei em choque olhando para ele,

enquanto você perdia toda a noção,

do tempo do pensamento de tudo,

que me prometeste .


Agora tenho um coração,

parecido com o que tinha,

sei que ficou,

ficou por um tempo e

roubou coisas boas minhas.



Mas posso reconstruir,

qualquer coisa com o tempo.

Inclusive esquecer sua existência.

Me esqueça..........
















As vezes

Porque as vezes sobro,

Aos lados ,ao vento,

me sinto só,

e acho engraçado quando ao redor olho e tem as paredes,

Elas tão imóveis  me fazendo companhia.



Porque as vezes me espalho,

e não sobra muita coisa para juntar,

engraçado como me chateio,

Com coisas normais.