Translate

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Algia



Eu deixei de me importar

com a forma que meu corpo

tem,
 

`Por motivos óbvios demais e além....

se é listrado,

de cores variadas,

torto de um lado,

se as coxas se batem ,

se tá calor ou esfriou .

tanto faz.

O frio da minha alma

congelou.



da onde vem tanta dor pulsante,

fico eu pensando por poucos instantes,


eu sonho em ser indolor,

sabe flutuar igual eu flutuo sobre os sentimentos,

aonde foram parar eles?


não consigo sentir, emoção alguma




porque dói aqui, dói acolá


aonde será que minha paz foi ficar?


Já não chega tanta exclusão do ser ,do querer

do não ter em que se apoiar,

andar no sereno nua com frio,


chorar rios e rios

Aceitação pressão da estética ,



mas, eu não sinto se corpo tenho

nem agora

eu tenho ponto doloridos batendo ao pé do ouvido,

dizendo sinta e sinta,

que lá vem a dor critica,

tortura psicológica sucinta,


milhões de duvidas,

eu quero anestesia no dia dia.


mas é tudo culpa,

culpa minha erro meu,

mesmo quando não se sabe o porque ,

da resposta do eu

te cobram resposta correta que atinja aquela meta,

que nunca seja descoberta,

que tenha alimentação correta

que use as linhas certas.



mas eu só sinto dor física,

horror de não ter descanso,

mas, continuam se preocupando com a minha saúde

porque formas redondas são cheias de respostas prontas


a foice esta no pescoço.



eu aqui dentro grito por socorro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário